quarta-feira, 4 de agosto de 2010

Painted in red.

Um coração dependente da independência. Sempre foste um coração solitário, mas amigável. Nunca tiveste problemas em arranjar amigos coloridos e a preto e branco, nunca tiveste problemas em cantar num palco em frente a milhares de pessoas, nunca tiveste alguém como eu. Alguém com um coração de mil e três cores, com riscas e bolinhas e de forma redonda. Nunca tiveste alguém tão diferente como eu. Sempre habituada a corações vermelhos e molhados de sangue, só. Agora é algo único que merece ser investigado, não é ?

Sabes, o meu coração até mudava para um coração normal por ti. Ele até perdia as pintas e as riscas, ele pintava-se de preto e branco, ele vestia um pijama verde com bonecos pintados a rosa, ele até fugia atrás de ti. Ele ama-te, tal como eu te amo a ti.


João Pedro, é teu ;)

5 comentários:

Ki disse...

A questão é... E depois? Continuavas a amar-te a ti mesmo? As coisas devem ser naturais, não forçadas... Pelo menos na minha opinião...

Mudando de assunto

Lindo como sempre! =o)

Marilena' disse...

que doce :)

PauloMitchell disse...

És um merdas, para mim não fazes textos!

Menina. "Sempre habituada" ; e acho que tens um erro em: "perdia as pintas e as ricas".

De resto, (:

danó disse...

do tipo, adorei mesmo :|

Qéé disse...

um dia, vou descobrir a razão de tudo isso, vou descobrir porque és diferente, :b