segunda-feira, 22 de agosto de 2011

No Domingo

estava eu à espera da minha companhia, sentado numa pedra à beira da estrada, quando apareceu um senhor, idoso, de bengala:
- Boa tarde, pode-me dar aqui uma ajudinha?
- Boas tardes, sim claro! - respondi.
- Precisava que me lê-se aqui uma carta do hospital, queria saber quando é que tenho que lá ir.
*passa-me a carta*
- Ora, com licença. 
*abro a carta e procuro a data sem ler nada mais*
- Dia 11 de Novembro Senhor, às 11:20.
- Novembro?! Quando é que é isso? A quanto estamos?
- Espere um momento que digo-lhe já.
*pego no tele e verifico o dia*
- Estamos no dia 20 de Agosto. Ainda falta Setembro, Outubro e depois é Novembro..
- Tanto tempo?! Quer dizer.. eu até lá posso morrer!
*neste momento, o senhor quase que chora*
- É que tenho uma coisa na vista e precisava tanto de a tirar! Ai meu deus, tanto tempo...
- Pois... Estas coisas demoram sempre tempo... - disse entristecido.
- Sim, eu sei.. Bom, muito obrigado.
*e foi-se*


Gente, deu-me um desgosto tão grande naquele momento. Ver os olhos do senhor em lágrimas... au!

1 comentário:

ana disse...

Parte o coração :(