sábado, 2 de outubro de 2010

8 # Carta para o teu amigo virtual preferido.

Esta tem um destinatário bastante peculiar. Devo dizer que nunca vi ninguém assim, o que torna o destinatário ainda mais único.

Tudo começou há mais de um ano quando, já não me recordo como, começámos a falar. Certamente foi por comentários de hi5 ou algo semelhante, não me recordo mesmo! Houveram conversas banais e falas quotidianamente normais, no início. Coração mole como sou, comecei logo a pegar-me a ti. Era tão fácil de conversar, de sorrir, de chorar de rir. Falávamos de tudo, sempre sem haver taboos alguns. Era um máximo falar contigo. Ok, eu não estava apaixonado por ti ou viciado, nada disso. Simplesmente gostava de passar umas horitas a falar contigo. Roubei-te o email após algum tempo e, after that, o teu número. Sim, eras (e és) estravaganza, mas não chegamos ao ponto das chamadas intermináveis. Baseamo-nos nas conversas até às cinco da manhã no msn e com webs ligadas. Eram palhaçadas e macacadas, e a tua pausa dos óculos. Sempre me fascinei com tal vício, mas adiantee. E durante um ano, cheio de surpresas, tornamo-nos melhores amigos. Não os melhores dos melhores, só os melhores. Mas, apesar disso, a nossa amizade tinha algo de especial. Chegavamos a não trocar um único olá, durante meses. Mas quando o fizessemos nunca havia stresses. Nunca nos chateamos e sempre nos apoiamos mutuamente. E isso é o que mais valorizo na nossa amizade. Não esquecer que nunca passas-te de um amigo virtual com o qual nunca tive contacto físico. Espantoso!  E, finalmente, depois de um ano de amizade, falei contigo em chamada. Melhor que isso? Não encontro!

Pouca e muita coisa só para te dizer, Miguel Oliveira, que és um puto todo ranhoso com um cabelo com o qual eu deliro. Amo-te jovem <3

2 comentários:

Phantomrider @ disse...

Meses, não messes

Qéé disse...

a mim não fazes tu cartas, --.

mas ya, tá fofis, :3