terça-feira, 28 de setembro de 2010

Para começar, virem na cruz.

Acho que está na hora de apagar este cinzeiro e deitar fora as nuvens borradas de pele. E, assim, os clichés deixaram de existir. Foram, complicadamente, separados daqueles apaganços de chamas. Foram com o sopro, com o hálito fresco da inexistência. 

Há pedaços de tudo que são clichés, como sempre o serão. A outra face são os pedaços que, apesar de serem clichés, podem ser contornados. É só virar à esquerda na saída da cruz e seguir em frente. Quando virem um chinelo, virem à direita e depois façam marcha atrás. Quando baterem, chegaram. E como era de calcular, os clichés não clichés, já cá não estão.

A nova shot, semi-pronta, é diferente. Espero.

3 comentários:

uma louca pela vida... disse...

adforei o teu blog e estou seguindo!!!
diferente a maneira que escreves :Þ

Qéé disse...

engraçado, se entrar na tua casa e virar à esquerda saio da cozinha, entretanto vejo um chinelo e cheguei ao teu quarto... OMG, o que tu queres sei eu, :O tarado! queres levar toda a gente pá tua cama, --.


[btw, tá giro, e sonhei que encontrava a I, o:]

Phantomrider @ disse...

Ahn?