quarta-feira, 1 de setembro de 2010

4 # Carta para o teu irmão (ou parente mais próximo).

Não tenho grande coisa a dizer, gémea. A nossa relação é totalmente amor-ódio. Já te viram encostada à parede com a minha mão a sufocar-te, mas também já te viram deitar-me ao chão com um só pontapé. Já nos separaram na escola, mas já nos disseram que éramos um amor. Existem provas de que já fomos "bons" um para o outro e também há memorias que nem quero relembrar. 
Vá vá, não quero ser querido para ti e escrever uma carta a dizer mil e uma coisas e, especialmente, não estou para afirmar que te amo e que és das pessoas pelas quais me preocupo mais. Fico sempre com o coração nas mãos quando não estou contigo, mesmo sabendo que estás em casa. E muita gente sabe disso, incluindo tu (i think). Mas tu nunca és querida para mim, tu não me dás muita importância (quando deves). Tu nem me deixar tocar-te ! Enfim, eu não disse nada disto.


Gémea, <3 

5 comentários:

Qéé disse...

disseste disseste.
está escrito, (L)

Phantomrider @ disse...

Olhá Patrícia.

PauloMitchell disse...

obrigado :)

danó disse...

opaaaaaaa , escreves mesmo bem !

Marilena' disse...

gostei muito alexandre :D