terça-feira, 29 de junho de 2010

Risoleta C. Pinto Pedro

O tempo, basicamente, fugiu'me do relógio, sabem ?
Quando conseguir apanhar aqueles pedaços ínfimos e abstractos de tempo, eu tornarei a ser eu. Porque neste momento, eu não estou em casa. Passei pela porta, em frente, e deixa'a aberta. Porque como há quem diga: "Uma casa não é uma casa. Uma porta não é uma porta. Ou melhor, uma casa não é só uma casa e uma porta não é uma simples porta." Agora, fora de casa, eu torno'me vagabundo e, o vagabundo, o mendigo, com a porta da minha casa aberta, entrou. O mundo trocou os nossos lugares. Mas eu vou arranjar um quarto para ti, um lugar dentro de mim.

Hei'de voltar a pegar em ti, com todo o cuidado para não te danificar e para continuares assim, em bruto. É que tu tens um pouco de mim contigo e, aquele toque eu venero, dentro de ti. Amo'te.

2 comentários:

Qéé disse...

és MESMO mendigo, -.-

N. # disse...

gostei deste post :) *