domingo, 16 de maio de 2010

O que devia ter feito.

Para não ter que andar com a carteira cheia de papelinhos com escrituras, arranjei um caderno. Já o mencionei aqui, mas adiante. Eu cheguei a dar'lhe uso, a sério que cheguei. Antes de deitar e na aula de bgeo, por exemplo. Mas, desconhecendo a causa, esqueci'me dele. Já senti grandes provocações do meu ser a impelirem'me para pegar num lápis e começar a escrever, mas não sabia do caderno. Era olhar com olhos de ver e via'o mesmo debaixo do meu queixo, mas não era assim que eu olhava. Esses súbitos desejos lá passaram e com eles levaram as escrituras. Agora, não sei que escravinhar nestas teclas. Instável e compulsivo como eu sou, não tardo a agarrar no lápis e escrever.

2 comentários:

Paulo disse...

Escreve sim!

De certeza que há sempre alguma coisa para escrever rapazola :3

Deixa-te levar :D

Qéé disse...

escreve rapaz, escreve.