quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

E agora, que faço?!

E agora, que faço?!
O que sempre fiz?
O que quero fazer?
Desisto?
Deixo-me de fantasias?

Todos nós temos aquelas trocas de olhares com estranhos.
Trocas inofensivas, trocas ligeiras ou até mesmo intensas.
Trocas que duram imenso mas que não fazem nada a não ser durar.
Outras, que duram segundos mas que mais parece uma eternidade e que mexem connosco.
Nunca sabemos se vamos voltar a ver essa pessoa ou o que nos fez sentir daquela maneira.
"Era só uma pessoa como todas as outras! Porque me senti assim?!" repito isto muitas vezes para comigo.
Mas desta vez... por amor de Deus!
.
.
.
O ano escolar começou.
Nova gente, "nova" escola, nova turma, nova matéria, novos professores, TU.

Já me tinha "calhado" pessoas semelhantes a ti.
Seres me observavam como se o amanhã não existisse.
Outros, que simplesmente olhavam com curiosidade.
Mas tu..nem sei!
As coisas tanto são intensas como são banais.
Tanto parecem ser trocas inofensivas como rapidamente se tornam em trocas que mexem tanto comigo!
Trocas intensas, duradouras, FORTES!

Eu podia simplesmente pensar que estavas a olhar, mas o facto de o pessoal me vir dizer que TU ESTAVAS A OLHAR! Ou como aconteceu na sexta:
"Óh Alexandre, deve mesmo querer uma foto tua!" - Mónica
 "Porquê?!" - eu
"Não pára mesmo de olhar para ti!" - ela.
Ok, eu não estou a ver coisas.
Tu olhas mesmo para mim!

Eu olho para ti porque me chamas a atenção.
Porque cativas o meu interesse.
Porque me chamas para ti com esses olhares.
Porque só pela maneira de seres e de agires, me fazes desejar-te!

Já passámos por tantos olhares..
Parados simplesmente a olhar um para o outro.
Passarmos na escola e não desviarmos o olhar.
Afastarmo-nos do nosso grupo para nos vermos melhor.
Tanta coisa!

Acredita que já pensei em tantas respostas para a pergunta "Porquê?!".
1001 respostas e nenhumas delas foi a de hoje.
Pensei em EU estar paranoico. Que imaginava que olhavas para mim, porque na realidade queria mesmo que olhasses.
Pensei que achasvas o facto de eu olhar para ti algo que te incomodava e, portanto, olhavas para mim.
Podia ser só curiosidade.
Podia ser um "para de olhar!".
Podia ser interesse.
Podia ser tanta coisa!
Mas não.

Já tinha decidido falar contigo, enfrentar tudo isto.
Hoje foi o dia.
Vi-te a entrar na escola, dirigi-me a ti:
"Dá para falarmos?" - perguntei.
"Dá." - respondeste-me com uma cara.. Cara essa que transmitia medo, incómodo e acima de tudo, desejo de sair dali. Constrangimento era o que se mais notava. Via-se que estavas à espera que eu te falasse, mas não esperavas que fosse desta maneira. Não depois de ontem..
"Que cena é esta de trocas de olhares? Tipo, estarmos sempre a olhar. Estares sempre a olhar?" - fui em frente. Talvez um pouco bruto, mas fui. Desculpa-me.
"O quê? Eu não olho para ti. Eu nem te conheço." - só disses-te isto. Notava-se agora ainda mais medo. E ainda mais vontade de fugir. Mas acima de tudo, os teus olhos não me enganavam. Tu estavas a mentir com todas as tuas forças, mas não foram suficientes para me enganar.
"Não? É que já me vieram dizer que sim.. Por isso é que vim falar contigo." - continuei..
"O quê? Não, eu não olho para ti. Nem te conheço" - não sabias dizer mais nada? Eu sempre ouvir dizer que se apanha mais depressa um mentiroso que um coxo.
"Pronto ok ok." - sem conseguir olhar mais para ti de tão perto, segui em frente.

 Eu sei que não gostas-te que eu te tivesse abordado.
Muito menos daquela maneira.
Desculpa-me por isso.
Mas não venhas dizer "eu não olho para ti".
Eu sei que tu olhas, tu sabes que olhas!
Estavas com medo que eu não gostasse desta "cena".
Estavas com medo que te batesse ou ameaça-se por ser mais velho.
Espanto, embaraçamento, ansiedade..tanta coisa que tu expressavas..

Agora sei que não devia ter falado contigo.
A magia dos nossos pequenos momentos vai desaparecer.
Eu sei que vai.
Eu só queria estar numa boa contigo, perceber se olhavas com interesse ou pura curiosidade.
Eu sinceramente gostava que fosse interesse :$.
Enfim, o que fiz está feito.

 Amanhã vou falar contigo outra vez.
Dizer que é numa boa e que não queria que me interpretasses mal.
Provavelmente digo que foi engano e que não eras tu quem me olhava (mentiras).

E a partir de hoje, que faço?
A magia foi-se.
Há coisas que nunca deveríamos saber.
Só assim a magia perdurará..

E agora, que faço?!
O que sempre fiz?
O que quero fazer?
Desisto?
Deixo-me de fantasias?


PS: A conversa não foi só isso. Os promenores que não escrevi não interessam a ninguém.

10 comentários:

Phantomrider @ disse...

Qualquer um olha para ti de forma curiosa.

73 disse...

"Todos nós temos aquelas trocas de olhares com estranhos."

Naaaa... Não deves ser o único mas és quem os torna mais especiais e... Enfim piegas. Não tenhas medo de saber as coisas, de qualquer das maneiras acabava sempre, ficava a memória...

Acho que devias insistir! Não tens nada a perder.

Phantomrider @ disse...

A primeira parte foi escrita porque me surgiu a ideia xP E depois publiquei no forum e como foi um sucesso e pediram pa escrever mais eu coise :$
E dedidi publicar aqui também xD

A fic eu mando-ta que não seja o caso xD

Phantomrider @ disse...

Hum-hum xP
Han?
Ele disse: BRUTAL, felicidades?

Phantomrider @ disse...

Ele ia ter cu putro nera? xD

Freitas disse...

Insiste, o que é que tens a perder?

E se nao o tivesses abosdado, ficarias sempre a ponderar o que podia ter sido.

Qéé disse...

eu vi quase tudo relacionado com isto.
olha mesmo!

<3

Kiko disse...

Go for it! Nothning to loose...lots to win!

Bárbara disse...

Não não desistes que a malta não deixa :C Fizeste muito bem em ter ido falar e não tens que te arrepender de nadinha!

Catariina OmO disse...

Fiquei :o
Que texto meu Omozinho querido =$
So te desejo toda a sorte do mundo !